...com alma, com gentes, com sabores, com sensações, com saudades...

segunda-feira, dezembro 03, 2007

ALUNO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE, VIANA DO CASTELO, VENCE O “PRÉMIO NACIONAL PROFESSOR DOUTOR JOSÉ PINTO PEIXOTO – ENSINO SECUNDÁRIO 2006/2007


Ricardo Jorge Pimentel Soares dos Reis, que no último ano lectivo concluiu o ensino secundário na Escola Secundária de Monserrate, em Viana do Castelo, venceu o Prémio Nacional - Ensino Secundário 2006/2007, atribuído pela Associação Casa de Cultura Professor Doutor José Pinto Peixoto, com sede em Miuzela.
Puderam concorrer ao prémio todos os estudantes que concluíram o ensino secundário no ano lectivo de 2006/2007, conforme o respectivo regulamento divulgado pelo Ministério da Educação, Direcções Regionais de Educação e pela própria Associação que o instituiu.

O vencedor é natural de Viana do Castelo, reside nesta mesma cidade, tem 18 anos de idade. Foi o concorrente que apresentou as médias mais elevadas das classificações finais do ensino secundário (20 valores) e para acesso ao ensino superior (198).
O Júri reuniu no passado dia 2 de Novembro, presidido pelo Presidente da Associação, Major-General Augusto José Monteiro Valente. Foram apreciadas dez candidaturas, duas com as médias finais de 20 valores, três com 19 e as restantes cinco com 18. Curiosamente, foi a primeira vez que um aluno venceu este prémio. Criado no ano de 2002, os vencedores nos cinco anos anteriores foram sempre alunas. Só num dos anos o premiado foi aluno do ensino particular .
A propósito do prémio, em recente ofício dirigido à Associação, o Ministério da Educação considerou-o “uma iniciativa louvável e merecedora do maior apreço, não só pela homenagem que presta a um cientista português que desenvolveu uma carreira de especial relevância na área da ciência, mas também pelo significado que assume perante os jovens como exemplo de atitudes a desenvolver, designadamente de perseverança, empenho e trabalho árduo na prossecução de objectivos académicos e profissionais”. Sobre o Professor Pinto Peixoto disse o vencedor do prémio, Ricardo Reis: “Morreu o homem, mas deixou a sua marca bem vincada no nosso mundo”. E acrescentou: “Pessoa de energia extraordinária, com um raro entendimento e uma cultura inigualável, Pinto Peixoto é o paradigma do cientista e do professor, mas principalmente do ser humano, enquanto parte activa da sociedade e construtor de um mundo melhor. A sua investigação foi crucial para o estabelecimento dos modelos climáticos actuais, nomeadamente em termos de previsão do tempo, (…) e para o desenvolvimento das ciências climáticas e geofísicas”. Ricardo Reis é agora aluno de Medicina na Universidade do Porto, uma escolha feita pela “perspectiva geral, quase renascentista, que a formação em medicina permite”, segundo as suas palavras, acrescentando que essa abrangência no olhar da ciência encontrou-a também no patrono do prémio, “figura que desconhecia até ser candidato, mas com quem se identificou”. Quanto ao prémio, Ricardo relativiza-o: “Fui o melhor entre os candidatos. Não quer dizer que não haja outros melhores a nível nacional”. Além de estudar, pratica dança de salão, karaté e natação, e prefere a leitura e o cinema às discotecas.
O Presidente da Associação
Augusto José Monteiro Valente

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial